Política Rio

Presidente da Câmara, Arthur Lira e centrão trabalham para empurrar para 2023 análise dos processos contra Daniel Silveira

Publicados

Política Rio

Presidente da Câmara e aliados tentam empurrar para 2023 a análise das ações contra Daniel Silveira, mesmo ano em que o atual mandato do parlamentar chega ao fim – Foto: Paulo Sergio/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e os deputados ligados ao centrão têm trabalhado para retardar a análise do caso do deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), que foi indultado por Jair Bolsonaro (PL) um dia após ser condenado a 8 anos e 9 meses de prisão pelo Supremo Tribunal federal (STF), além da perda do mandato e de direitos políticos,  por atacar a democracia e as instituições.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, Lira e aliados alegam ser necessário “esfriar” a tensão entre os Poderes, o que justificaria empurrar para o ano que vem as ações que podem levar à suspensão ou até a cassação do mandato de Silveira. 

A reportagem, porém, destaca que alguns líderes próximos do Planalto avaliam que talvez a Câmara nem analise os processos contra o parlamentar, uma vez que o mandato de Silveira termina em janeiro do próximo ano. Nesta linha, Lira ingressou com uma ação junto ao STF para que a Corte determine se será o Congresso a definir o destino de Silveira na Casa.

Leia Também:  Representante do Centrão: Jair Bolsonaro assina filiação ao PL durante cerimônia em Brasília

“Além disso, há duas recomendações aprovadas há quase um ano pelo conselho de ética da Câmara que, somadas, representariam uma suspensão de oito meses do mandato de Silveira. A decisão de pautar para votação em plenário cabe a Lira”, ressalta o periódico.

A base bolsonarista avalia que se o caso fosse levado hoje ao Plenário da Câmara, a decisão seria favorável ao deputado, o que poderia resultar em um acirramento da tensão entre o Legislativo e o Judiciário.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política Rio

Veículo do deputado Flávio Serafini é atingido por tiro em frente ao Armazém da Utopia, no Rio de Janeiro

Publicados

em

O parlamentar do Psol estava em frente ao Armazém da Utopia, na região Portuária do Rio, quando o carro que ele estava foi baleado – Foto: Divulgação / Octacílio Barbosa

O carro do deputado estadual Flavio Serafini (Psol) foi atingido por um tiro na madrugada deste sábado (21), quando estava em frente ao Armazém Utopia, na região Portuária do Rio, no Centro da cidade. Ninguém ficou ferido.

Segundo Serafini, o tiro atingiu a porta do carona do veículo que é blindado. O parlamentar não estava no carro no momento, mas havia uma pessoa dentro do veículo esperando o deputado chegar.

Tiro durante perseguição

O caso foi registrado na 5ª DP (Lapa) e, segundo o deputado, o carro foi atingido em meio a uma perseguição policial. De acordo com o relato, os policiais estavam tentando capturar suspeitos deroubar um celular.

Para Serafini, o tiro em seu carro durante uma ação da polícia contra suspeitos que, segundo ele, estavam desarmados, é uma falha da atual política de segurança pública do Rio de Janeiro. O deputado acredita que a orientação do estado é pautada no estímulo ao confronto e ao uso de arma de fogo sem risco iminente.

Leia Também:  Governador Cláudio Castro: Comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, foi ocupada por 1,2 mil policiais

“É inaceitável que a nossa política de segurança seja orientada ao confronto nos fazendo vivenciar situações onde vidas são ceifadas em nome de aparelhos celulares e de uso desnecessário de força. Dessa vez a blindagem salvou um inocente de um tiro disparado pela própria polícia, mas muitas vezes o desfecho é trágico”, disse Serafini. Do G1 Globo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA