SAÚDE

Tecnologia e tratamento humanizado: dentista do Gama atrai pacientes do DF e das principais capitais do país

Publicados

SAÚDE

A ausência de dentes impacta na alimentação e articulação de palavras. Para auxiliar as pessoas que sofrem com esse problema – Foto: Acervo Dr. Implante

Correio Braziliense – A última Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em 2019 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que mais de 14 mil adultos sofrem com a perda dentária total. A condição é preocupante, já que os dentes são a porta de entrada para todos os alimentos ingeridos ao longo da vida e, além disso, são fundamentais para a articulação de palavras.

Buscando transformar a realidade dos brasileiros que possuem a qualidade de vida impactada por esses problemas dentários, Felipe Cavalcante Machado se especializou em Odontologia. Atuando na área desde 2014, o profissional, que atende no Gama, oferece tratamentos humanizados, focados em proporcionar uma experiência individual para cada paciente.

“Eu sou filho de pais que, hoje, são implantados. Eu mesmo fiz os implantes neles. Conheço bem os problemas de pessoas que têm ausência de dente ou problema na mastigação, na fonética e diminuição da autoestima. Quando eu ‘vendo’ dente, ‘vendo’ sorriso e devolvo ao paciente não só a condição funcional, mas a esperança e felicidade”, diz.

Para que o trabalho seja possível, Machado conta com um consultório digitalizado e com equipamentos modernos. As moldagens dentárias, por exemplo, contam com o suporte de um scanner. O dispositivo permite realizar a cópia dos dentes e da gengiva para ser visualizado em 3D, por meio da tela de computador.

A inovação permite que o paciente evite a utilização do método tradicional de moldagem, que pode trazer desconforto como náuseas e sensações de sufocamento para alguns indivíduos. O processo é mais simplificado e menos invasivo, pois realiza uma leitura completa da arcada dentária por meio de uma câmera intraoral.

“Nosso tratamento é praticamente todo digital e informatizado. Dessa forma, além de acelerar o tratamento, temos a possibilidade do paciente ter uma expectativa de como vai ficar o sorriso dele antes mesmo de concluir o procedimento. A ferramenta ajuda muito a personalizar os dentes dos pacientes para cada tipo de rosto, visto que cada um tem um formato específico”

Felipe Cavalcante Machado

Para conseguir montar o seu consultório com tecnologias odontológicas mais avançadas, o profissional construiu o seu sonho aos poucos. Assim como a maioria dos seus colegas, o seu primeiro local de trabalho, no Novo Gama, era pequeno e com poucos recursos tecnológicos. Agora, com a mudança para o Gama, o investimento foi maior e proporcionou a possibilidade de oferecer tratamentos mais completos e diferenciados no mercado.

Leia Também:  Presidente da Alerj defende a regulamentação da tecnologia 5G durante o Rio Innovation Week

“Acredito que o meu crescimento profissional tem a ver com o meu tratamento humanizado. A gente trata cada paciente com a sua necessidade, desde a formação dos dentes até o procedimento que será proposto a eles. Não é só colocar um dente ou uma lente de contato, vai muito além disso. A personalização e o atendimento humanizado, desde a recepção até o pós-tratamento, são importantes. Estamos sempre em contato com o paciente para saber como ele está”, comenta.

Indicações

De acordo com Machado, qualquer indivíduo que tenha perdido um elemento dentário pode realizar um implante. Entretanto, algumas condições limitam a realização do tratamento. Doenças não controladas como a diabetes e problemas de pressão tendem a dificultar a cirurgia. O estado de saúde, em geral, tem que ser positivo para estar apto a receber os implantes.

“O implante dentário é um dos procedimentos mais tranquilos da odontologia. Tem risco como qualquer cirurgia, mas hoje a nossa taxa de sucesso é de 99%. Quando a gente tem algum problema com implante, geralmente está associado aos pacientes que são fumantes ou diabéticos”, reforça.

A utilização de materiais de boa qualidade tende a minimizar os riscos. Machado explica que, no consultório, é realizado um procedimento que em até 28 dias o implante consegue estar cicatrizado. Com métodos mais antigos, esse processo costuma demorar de três a quatro meses.

“Quando a gente pega um paciente diabético, ele pode até manter a diabetes controlada por 28 dias, que é o período de osseointegração do implante com materiais importados. Se você solicita que ele mantenha o controle da doença por quatro ou cinco meses, é mais complicado”, informa.

Leia Também:  ONU diz que havia pacientes em maternidade de Mariupol e que Rússia faz "ataques indiscriminados"

Para pacientes sem histórico de enfermidades, o procedimento pode ser mais rápido. Por meio do implante de carga imediata, o dentista pode fazer a instalação da prótese logo após a cirurgia de implantação do pino de titânio. Depois disso, basta manter os cuidados durante o pós-operatório. Em até 72 horas, é possível ter os dentes implantados. Além da rapidez, o processo gera mais conforto durante o período de osseointegração.

A técnica é voltada para pacientes que possuem condições necessárias nos ossos da boca para receber o implante. Caso contrário, outros tratamentos devem ser avaliados, como o All-On-Four, onde é realizada a ancoragem do seio zigomático.

Lentes de contato

As lentes de contato dentárias se tornaram populares nos últimos anos. Esse tratamento odontológico consiste em melhorar a aparência dos dentes, buscando corrigir irregularidades no formato, cor e espaçamento dentário. Consideradas próteses superfinas, as lentes são aplicadas sobre o dente natural do paciente.

“Sou apaixonado em devolver estética para os pacientes. Eu falo que estamos na contramão do mundo, onde o pessoal bota a máscara e possui um dia a dia que tira a autoestima. Para o tratamento, geralmente as lentes de contato são feitas em quatro visitas, em um prazo médio de 25 dias”, comenta.

A primeira consulta é voltada para a avaliação e fotografia intra e extrabucal, por meio do escaneamento. Na outra sessão, o paciente faz uma prova do mockup e já vê o futuro sorriso mesmo antes de finalizar o procedimento. “Ele tem um molde do sorriso. Eu chamo de ‘teste drive’. Aprovando isso, a gente faz os preparos e, na outra consulta, a gente encaixa as lentes de contato”, complementa Machado.

Clique aqui para tirar dúvidas.

Matéria escrita pela jornalista Gabriella Collodetti

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Programa Saúde com Agente oferece formação técnica para 200 mil profissionais em todo o Brasil

Publicados

em

O objetivo é melhorar os indicadores de saúde, a qualidade e a resolutividade dos serviços da Atenção Primária no Brasil – Foto: Geovana Albuquerque / Agência Brasília

O Ministério da Saúde lançou, nesta quarta-feira (22), os cursos de formação técnica do programa Saúde com Agente. A iniciativa vai capacitar cerca de 200 mil Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate a Endemias, com o objetivo de melhorar os indicadores de saúde, a qualidade e a resolutividade dos serviços da Atenção Primária no Brasil.

O programa, lançado em dezembro de 2020, conta com a parceria do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e das Secretarias Municipais de Saúde. Até fevereiro de 2022, 5.452 municípios aderiram ao programa – cerca de 98% das cidades brasileiras – com 236.453 inscrições. Dessas, 198.265 foram homologadas em junho deste ano. 

Ao todo, são ofertadas 138 mil vagas para o Curso Técnico de Agentes Comunitários de Saúde e 62 mil vagas para Curso Técnico em Vigilância em Saúde com Ênfase no Combate às Endemias, com investimento de mais de R$ 388 milhões, com recursos inteiramente da União.

Leia Também:  Presidente da Alerj defende a regulamentação da tecnologia 5G durante o Rio Innovation Week

O secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto, detalha como será a capacitação.

“É um curso que vai tratar de conhecimentos, ciências, técnicas, habilidades e atitudes, a parte ética. É um curso de formação integral e global. E esse é o tipo de saúde que queremos para nosso cidadão: uma saúde integral, com pessoas compromissadas com o bem, compromissadas com o nosso país.”

Segundo o Ministério da Saúde, o intuito é que os agentes tenham um olhar apurado sobre as informações coletadas nas residências e saibam como melhor orientar os pacientes que precisam de atendimento em saúde. 

As aulas estão previstas para começar no dia 9 de agosto deste ano, na modalidade à distância (EAD), com atividades presenciais realizadas no ambiente de trabalho dos agentes. Nos municípios com dificuldade ou sem acesso à internet, os alunos poderão assistir às aulas pela TV, pelo canal Mais Conasems.

“Um curso que, em dez meses intensivos, oferecerá 1.275 horas de experiência e de aprendizagem para elevar toda uma categoria profissional a nível técnico, para distribuir conhecimento e capacitação, e para ajudar a modernizar nosso Sistema Único de Saúde”, afirma o secretário.

Leia Também:  Isso não foi obstáculo: Mesmo em tratamento de saúde, cantora Joelma trabalha a todo vapor e anuncia novo clipe

Durante o lançamento dos cursos, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, destacou o papel fundamental dos Agentes Comunitários de Saúde e de Combate a Endemias.

“Os nossos recursos humanos são parte fundamental da eficiência e da qualidade da assistência à saúde. E parte importante desses recursos humanos são os Agentes Comunitários de Saúde. São os olhos do SUS na casa de cada um dos brasileiros. São vocês que chegam lá para ver e ouvir os reclames da nossa sociedade. Então, é muito mais do que justo que nós nos empenhemos ao máximo para qualificar os Agentes Comunitários de Saúde.”

“Esse curso, com a abrangência que tem, com o conteúdo programado de excelência que foi elaborado em parceria com uma das melhores universidades do Brasil, fará uma verdadeira revolução no nosso sistema de saúde”, acrescenta.

Para outras informações, acesse a página oficial do Ministério da Saúde ou ligue gratuitamente para o 136. Fonte: Brasil 61

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA