Política

Sob pressão, o terceiro presidente da Petrobrás no governo Bolsonaro pode cair com apenas um mês no cargo

Publicados

Política

Indicado pelo ex-ministro Bento Albuquerque, José Mauro Ferreira Coelho perde apoio político com a entrada de Adolfo Sachsida e sua agenda privatista – Foto: ABr

Brasil 247 – O presidente da Petrobrás, José Mauro Ferreira Coelho, homem de confiança do agora ex-ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque, está sob pressão e pode cair apenas com um mês depois de assumir o cargo. A informação foi publicada nesta sexta-feira (13) pelo jornal O Estado de S.Paulo

Bento foi demitido após a Petrobrás ter aumentado o preço do óleo diesel em 8,87% nesta semana.

Coelho é o terceiro presidente da Petrobrás no governo Bolsonaro.

Os constantes aumentos nos preços de combustíveis e o desmonte na empresa têm levado petroleiros e caminhoneiros a se mobilizarem contra o governo.

O coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP-CUT), Deyvid Bacelar, afirmou que Bolsonaro verá “a maior greve da história da categoria”, caso avance na intenção de privatizar a Petrobrás.

O deputado federal Nereu Crispim (PSD-RS), presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Caminhoneiros Autônomos e Celetistas, criticou a “incompetência” de Bolsonaro.

Leia Também:  Senador Renan Calheiros pede cadeia para o "bajulador" e ministro da Saúde, Marcelo Queiroga

O presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Wallace Landim, o Chorão, criticou a mudança de ministro na pasta de Minas e Energia – saiu Bento de Albuquerque para a entrada de Adolfo Sachsida. De acordo com o dirigente, Bolsonaro quer apenas “ganhar tempo”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Ciro Gomes perde debate para Duvivier e tem mais menções negativas nas redes após o evento

Publicados

em

Diretor da Quaest aponta que as menções a Ciro Gomes aumentaram nas redes sociais, mas foram mais negativas – Foto: Reprodução

Brasil 247 – O pré-candidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes, perdeu o debate, na sexta-feira, 20, com o humorista Gregório Duvivier, segundo dados levantados pela Quaest, e divulgados pelo diretor do instituto de pesquisa, Felipe Nunes, nas redes sociais neste sábado, 21

“O que é inequívoco é que Ciro Gomes conseguiu esquentar a noite fria de 20/05. A média de menções ao seu nome passou de 25 mil para quase 90 mil”, comentou.

“O que Ciro não conseguiu fazer, no entanto, foi provocar uma mudança no sentimento digital das pessoas sobre ele. No começo da semana, o percentual de menções positivas foi de 28%, após o debate, ele chegou a 19%”, concluiu.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Medo? MP pede ao Tribunal de Contas da União que bloqueie bens de Moro por sonegação
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA