Política de Brasília

Eduardo diz que comunicação de Bolsonaro tem limite: “eles dizem que está tudo bem e o povo está com a barriga roncando”

Publicados

Política de Brasília

Economista diz que as pessoas vão ficar sem saber se acreditam em sua barriga roncando ou no WhatsApp – Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247 | Marcos Corrêa/PR

O economista Eduardo Moreira, em entrevista à TV 247, avaliou que a campanha pela reeleição de Jair Bolsonaro deve atravessar grandes problemas com o aumento da inflação e o esgotamento da máquina pública.

Diante desses problemas, Bolsonaro deve “apelar” para mentiras nas redes sociais. Mas, segundo o economista, a estratégia está fadada ao fracasso:

“A piora do cenário econômico, depois de o Bolsonaro ter gastado um monte de carta, como liberação de crédito, FGTS e reajustes, pode piorar o cenário para ele”, disse.

“Agora Bolsonaro tem menos cartas, e as coisas vão começar a piorar. Ele vai apelar para tentar ganhar isso no mundo da fantasia das histórias do WhatsApp, mas esse mundo tem um limite de até onde pode chegar. Chega num certo ponto, o WhatsApp está dizendo que está tudo bem, mas minha barriga está roncando. Em quem eu confio? Na minha barriga ou no WhatsApp?”, completou.

Leia Também:  Indicado por Bolsonaro, Nunes Marques atua para evitar derrotas do governo no Supremo Tribunal Federal

Veja o Vídeo:

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política de Brasília

“Foi só comida e conversa fiada”: Executivos de empresas criticaram encontro com Elon Musk em São Paulo

Publicados

em

Executivos reclamaram da falta de efeitos práticos dos anúncios – Foto: Reprodução

Executivos de empresas criticaram o encontro com o bilionário Elon Musk nessa sexta-feira (20) durante evento do Ministério das Comunicações no interior de São Paulo. Empresários reclamaram da falta de efeitos práticos dos anúncios e classificaram o encontro de “conversa fiada”.

Embora o evento para falar de satélite ou tema conectividade da Amazônia , só Musk teve espaço, o que incomodou parte dos CEOs. Segundo o jornal O Globo, um executivo chamou o encontro com Elon Musk de “um grande evento de publicidade”. Outro deles classificou o convescote como “uma ideia de jerico”. O almoço teria sido mais elogiado pelo menu do que pelo teor das conversas: “foi só comida e conversa fiada”, definiu um dos presentes, segundo o jornal. Um dos presentes decidiu ir embora e resumiu sua participação: “vim ver e ser visto por uma questão de cortesia com o Ministério das Comunicações”

A presença do BTG chamou a atenção, com a presença de alunos da Inteli, apoiado pelo banco. Musk almoçou entre Bolsonaro e o banqueiro André Esteves. Os fundos do BTG compram metade da empresa de fibra ótica da Oi, a InfraCo.

Leia Também:  "Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira já abandonou Bolsonaro", diz jornalista Tales Faria

A empresa de satélite bilionário tem autorização para operar no Brasil e pretende oferecer internet em áreas rurais a partir de meados deste ano nas regiões Sul e Sudeste.

O programa que o bilionário Elon Musk veio oferecer ao governo de Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (20) para conectar escolas rurais à internet já existe desde 2018. 

Segundo a jornalista Malu Gaspar, do Globo, o programa foi executado por meio de um acordo da Telebras com a empresa Viasat Telecomunicações, do igualmente bilionário Mark Dankberg e o maior concorrente de Musk nos Estados Unidos. 

Pelo acordo firmado, a Viasat utiliza 58% da capacidade do satélite SGDC-1 e a Telebras, 42%. O governo pagou R$ 700 milhões para a instalação dos equipamentos e colocá-los em operação.

Chamado inicialmente de Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão (Gesac) e rebatizado por Jair Bolsonaro de de Wi-Fi Brasil, ele usa um satélite que custou R$ 3 bilhões ao governo brasileiro para conectar 10 mil escolas das regiões Norte e Nordeste à internet.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA