Polícia

Homem suspeito de torturar a esposa e queimar as genitais de criança de 3 anos é preso em flagrante no Rio

Publicados

Polícia

Mulher percorreu cerca de 200 km, de Cabo Frio a São Francisco de Itabapoana, e retornou com o neto e a filha, em estado de choque, para a Região dos Lagos – Foto: Polícia Civil

Um homem foi preso em flagrante em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos do Rio, por torturar a companheira e o filho dela, de 3 anos, segundo a Polícia Civil.

Segundo o G1 Rio, a vítima conseguiu enviar a localização para a mãe, que percorreu cerca de 200 km, de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, até São Francisco de Itabapoana, no Norte Fluminense, para saber o que estava ocorrendo, já que o suspeito, Erivaldo Ferreira de Oliveira, proibia a mulher de se comunicar com a família.

Quando a mulher retornou a Cabo Frio com a filha e o neto, ao dar banho na criança, viu a gravidade das agressões.

“Meu neto está muito machucado, cabeça, boca, rosto, olhos, as costas, ele foi queimado. Queimaram as genitais dele com isqueiro, ele não tem parte da nádega, tá sem músculo dos dois lados. Ele tá muito ferido, com muito medo, ele tem três anos”, disse a avó da criança.

Ela levou o neto e a filha, em estado de choque, até a UPA do bairro Parque Burle. Na unidade, policiais e o Conselho Tutelar foram acionados.

Leia Também:  Investigadores da Polícia Civil prende homem de 40 anos que esfaqueou mulher no peito em Ceilândia

A família contou que o casal tinha um relacionamento há três meses, mas as agressões se intensificaram em abril, depois que eles se mudaram para o Norte do estado. Lá, o suspeito proibiu a mulher de usar o celular e de falar com a família. Os familiares não tinham nem o endereço do casal.

O suspeito ainda ameaçava a companheira de morte se ela contasse para alguém sobre as torturas, de acordo com a família. Graças a um momento de distração, que a mulher conseguiu pegar o celular e enviar a localização para a mãe, que mesmo sem saber do que se tratava, foi atrás do endereço.

“Meu neto tá internado, minha filha está com lesões no joelho. Foram feitos todos os tipos de agressões que se pode imaginar: física, psicológica… e o que dói muito é uma vó, uma mãe, uma mulher, ver acontecer isso todo dia”, contou a avó à reportagem.

A polícia conseguiu prender o homem em São Pedro da Aldeia, na Região doa Lagos, enquanto ele tentava fugir. Ele foi transferido para o presídio de Benfica, no Rio.

“O caso foi notificado para a delegacia de Cabo Frio que iniciou intensas buscas na intenção de capturar o autor. Foram feitas várias diligências até que em São Pedro da Aldeia, o Erivaldo foi capturado, quando já estava em caminho de fuga para deixar a região”, explicou o delegado da 126ª DP, Carlos Eduardo Almeida.

Leia Também:  Idoso de 60 anos é preso por não pagamento de pensão alimentícia durante uma fiscalização da Polícia na Via Dutra

De acordo com os médicos da UPA, o estado de saúde da criança é estável. O Conselho Tutelar informou ao g1 que o caso será encaminhado ao Ministério Público. A reportagem também tenta contato com a defesa do suspeito.

“Ele veio puxar uma conversa na viatura que o que ele fazia era para corrigir a criança. Então, eu não deixei ele continuar com esse assunto, porque nós somos profissionais de polícia, a gente entende muita coisa, a gente tem que ter sabedoria para lidar com muita coisa, mas têm coisas que passam do limite. Têm horas que a sensibilidade da gente vem a tona, tenho filho pequeno, criança, não dá”, desabafou, Guilherme Ferreri, chefe de investigações da 126ª DP.

Erivaldo Ferreira de Oliveira foi preso em São Pedro da Aldeia após cerco da polícia – Foto: Polícia Civil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

Dois Brasileiros que estudam medicina na Bolívia e Paraguai são presos acusados de serem “mulas” de traficantes

Publicados

em

Polícia Civil prendeu dois estudantes de medicina que estudam no exterior são acusados de serem ‘mulas’ do tráfico para entrar em SP com cocaína e skank nas bagagens – Foto: Polícia Civil

Após um ano de investigações, a Polícia Civil prendeu dois brasileiros, estudantes de medicina no Paraguai e na Bolívia, acusados de terem sido contratados como ‘mulas’ por traficantes para levarem drogas desses países a São Paulo.

As prisões de um estudante de 24 anos, em fevereiro, e de uma aluna de 29, na última quarta-feira (11), no Terminal Rodoviário da Barra Funda, Zona Oeste da capital paulista, confirmaram a existência de um esquema de tráfico internacional de drogas que oferece dinheiro a brasileiros que cursam medicina no exterior.

De acordo com o Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc), os brasileiros recebem os entorpecentes nos países vizinhos, depois atravessam a fronteira com o Brasil de ônibus, entrando pelo Mato Grosso (MT) ou Mato Grosso do Sul (MS). E desses estados seguem para São Paulo.

Leia Também:  Homem é preso com pistola no Leblon após sequestrar dois taxistas e perseguição no Rio de Janeiro

Segundo a investigação, no começo do ano, o jovem preso confessou que um traficante paraguaio ofereceu a ele R$ 4 mil para transportar 3kg de cocaína pura dentro de uma mala preta.

O dinheiro seria pago ao aluno de medicina por um traficante brasileiro assim que ele desembarcasse com a droga na rodoviária de São Paulo. Mas ao chegar, ele foi surpreendido por policiais civis da 4ª Delegacia da Divisão de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) do Denarc.

Apesar de confessar o tráfico, crime pelo qual foi indiciado, o rapaz se recusou a dizer os nomes dos traficantes que o aliciaram. A droga que ele transportava foi apreendida.

Maconha sabor limão

Na quarta, a mesma equipe policial prendeu em flagrante a estudante. Segundo os agentes, ela disse informalmente que um traficante boliviano lhe prometeu R$ 5 mil para levar 12 kg de Skank (maconha potencializada) até São Paulo.

A droga estava em 36 embalagens dentro de uma mala rosa. De acordo com o Denarc, o entorpecente apreendido era uma maconha gourmet, nome dado a ervas geneticamente modificadas com sabores.

Leia Também:  Gleisi rebate fake news de Bolsonaro contra Lula: “esse homem não pode continuar mentindo livremente por aí"

No caso dela, havia um aroma de limão. Nota característica da maconha conhecida como Super Lemon Haze (névoa de super limão em tradução livre). A estudante também foi responsabilizada criminalmente por tráfico de drogas. Veja mais no G1 Rio

Super Lemon Haze (névoa de super limão, numa tradução livre do inglês para o português) é uma maconha gourmet que é consumida principalmente por pessoas com alto poder aquisitivo em festas privadas em São Paulo – Foto: Polícia Civil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA