Polícia

Agentes do BRT Seguro apreendem dois adolescentes após roubo na estação Colônia no Rio de Janeiro

Publicados

Polícia

As ações diárias de patrulhamento nas estações contam com integração entre a PM e a Guarda Municipal – Foto: Prefeitura do Rio

Prefeitura do Rio – Na madrugada deste domingo (16/01) dois adolescentes foram apreendidos em flagrante por agentes do programa BRT Seguro, da Secretaria de Ordem Pública, após ocorrência de roubo na estação Colônia, na Taquara.

A equipe foi acionada pelo Centro de Controle Operacional do BRT, por volta de 1h da madrugada, e se deslocou imediatamente para a estação, onde conseguiu realizar a apreensão dos jovens e recuperar uns óculos, um grampo (instrumento usado para arrombamento) e um rolo de fita de nota fiscal. A ocorrência foi registrada na 32ª DP, na Taquara.

Em outra ação na madrugada, agentes do BRT Seguro realizavam uma verificação no sistema de monitoramento da estação Parque das Rosas e, durante a operação de varredura, encontrou 20 metros de fios, que haviam sido roubados do BRT, deixados na estação.

Em pouco mais de seis meses de atuação, 124 prisões já foram feitas pelo programa, de responsabilidade da Secretaria de Ordem Pública, após ocorrências de roubo, furto, dano ao patrimônio público e receptação.

Leia Também:  Isolado no plenário, deputado Daniel Silveira do Rio de Janeiro aplaude sozinho discurso a seu favor

As ações diárias de patrulhamento nas estações contam com integração entre a Polícia Militar e a Guarda Municipal.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

Dois Brasileiros que estudam medicina na Bolívia e Paraguai são presos acusados de serem “mulas” de traficantes

Publicados

em

Polícia Civil prendeu dois estudantes de medicina que estudam no exterior são acusados de serem ‘mulas’ do tráfico para entrar em SP com cocaína e skank nas bagagens – Foto: Polícia Civil

Após um ano de investigações, a Polícia Civil prendeu dois brasileiros, estudantes de medicina no Paraguai e na Bolívia, acusados de terem sido contratados como ‘mulas’ por traficantes para levarem drogas desses países a São Paulo.

As prisões de um estudante de 24 anos, em fevereiro, e de uma aluna de 29, na última quarta-feira (11), no Terminal Rodoviário da Barra Funda, Zona Oeste da capital paulista, confirmaram a existência de um esquema de tráfico internacional de drogas que oferece dinheiro a brasileiros que cursam medicina no exterior.

De acordo com o Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc), os brasileiros recebem os entorpecentes nos países vizinhos, depois atravessam a fronteira com o Brasil de ônibus, entrando pelo Mato Grosso (MT) ou Mato Grosso do Sul (MS). E desses estados seguem para São Paulo.

Leia Também:  Polícia Civil e MPRJ apreendem 26 fuzis em casa ao lado de creche no Grajaú, Zona Norte do Rio de Janeiro

Segundo a investigação, no começo do ano, o jovem preso confessou que um traficante paraguaio ofereceu a ele R$ 4 mil para transportar 3kg de cocaína pura dentro de uma mala preta.

O dinheiro seria pago ao aluno de medicina por um traficante brasileiro assim que ele desembarcasse com a droga na rodoviária de São Paulo. Mas ao chegar, ele foi surpreendido por policiais civis da 4ª Delegacia da Divisão de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) do Denarc.

Apesar de confessar o tráfico, crime pelo qual foi indiciado, o rapaz se recusou a dizer os nomes dos traficantes que o aliciaram. A droga que ele transportava foi apreendida.

Maconha sabor limão

Na quarta, a mesma equipe policial prendeu em flagrante a estudante. Segundo os agentes, ela disse informalmente que um traficante boliviano lhe prometeu R$ 5 mil para levar 12 kg de Skank (maconha potencializada) até São Paulo.

A droga estava em 36 embalagens dentro de uma mala rosa. De acordo com o Denarc, o entorpecente apreendido era uma maconha gourmet, nome dado a ervas geneticamente modificadas com sabores.

Leia Também:  Briga em balsa por uso de máscara na Barra da Tijuca no Rio termina com condutor jogado em canal

No caso dela, havia um aroma de limão. Nota característica da maconha conhecida como Super Lemon Haze (névoa de super limão em tradução livre). A estudante também foi responsabilizada criminalmente por tráfico de drogas. Veja mais no G1 Rio

Super Lemon Haze (névoa de super limão, numa tradução livre do inglês para o português) é uma maconha gourmet que é consumida principalmente por pessoas com alto poder aquisitivo em festas privadas em São Paulo – Foto: Polícia Civil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA