RIO DE JANEIRO

Mundo

“Foi coisa do Satanás”: Vídeo mostra homem flagrando a esposa em motel com pastor, esposo se desespera

Publicados

Mundo

Marido flagrou esposa em motel com pastor de Campo Grande que realiza culto da família na Av. Bandeirantes – Foto: Reprodução

Vídeo de casal flagrado em um motel de Campo Grande viralizou, rodando o WhatsApp nas últimas horas. Na gravação, o marido da mulher, que é pastora, entra no quarto aos berros após flagrar a esposa com outro pastor. Os dois amantes costumam pregar na região do Guanandi e Aero Rancho. O pastor, inclusive, faz cultos especiais em prol da família tradicional, pela Igreja Apostólica Jesus Cristo Voltará. As informações são do site Campo Grande News.

Nas imagens, o marido entra no quarto se referindo ao amante como “pastor do Diabo”. Em seguida, mostra a esposa e  grita: “Você acabou com a minha vida”. O homem ainda chuta a porta e agride a esposa batendo a porta nela.

Entre gritos, ofensas e agressões verbais direcionadas à mulher, o homem faz ameaças dizendo que vai expor o casal flagrado. “Isso aqui vai rodar Campo Grande inteiro, todo mundo vai saber”.

Leia Também:  Vídeo mostra veículo “voando” em cruzamento e invade quintal em Goiás. Casal ficou ferido e foi levado para hospital

O marido também questiona o amante por que ele fez isso. “Você destruiu minha família. Por que você fez isso?”, pergunta.

Nas últimas horas, dezenas de seguidores perguntaram se o vídeo é de Campo Grande. O Lado B/ Campo Grande News tentou entrar em contato com os pastores da imagem, somente a mulher atendeu a ligação.

Quem nunca errou? 

Com a voz triste, a pastora disse que não está bem. “Já aconteceu, não tenho como voltar atrás. Quem nunca errou que atire a primeira pedra. Enquanto a gente julga, estamos sendo julgados.”

Questionada sobre o impacto da exposição após divulgação dos vídeos, ela preferiu não falar do companheiro que estava no motel e defendeu o marido, com quem é casada há 21 anos. “Meu marido já me perdoou, a mulher dele (pastor amante) já perdoou ele.”

Ela ainda acrescentou que o episódio não foi uma traição. “Foram erros, só que a culpa não é da gente. A gente foi vítima de Satanás para escandalizar e jogar o nosso nome na lama. Todo mundo foi usado pelo Diabo. Meu marido chegou falando pastor do Diabo, então todo mundo foi usado pelo Diabo” justifica.

Leia Também:  Vídeo: Moro e Dallagnol assumem a sua parcialidade ao optarem por um partido de centro-direita, diz Afranio Jardim

Diante da chuva de comentários e compartilhamentos, a pastora ainda mandou recado para quem a colocou no “tribunal da internet”. “Quem vai ficar apontando e criticando está se autoconcedendo, porque já nos acertamos. Aí, é cada um com Deus”, finalizou.

Veja vídeo (Canal Expresso Gospel)

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mundo

Crimes de guerra: Soldado russo se declara culpado por matar um idoso civil desarmado na guerra na Ucrânia

Publicados

em

Vadim Shishimarin, um comandante de tanque russo de 21 anos, é acusado de assassinar um civil de 62 anos na vila de Chupakhivka. Se condenado, ele pode pegar prisão perpétua – Foto: Reprodução Youtube

Reuters – Um soldado russo acusado de crimes de guerra na Ucrânia se declarou culpado nesta quarta-feira de matar um idoso civil desarmado.

Vadim Shishimarin, um comandante de tanque russo de 21 anos, falou em um tribunal distrital de Kiev durante o primeiro julgamento por crimes de guerra contra um soldado russo que participou da invasão promovida por Moscou em 24 de fevereiro.

Em um julgamento que tem grande importância simbólica para Kiev, Shishimarin é acusado de assassinar um civil de 62 anos na vila de Chupakhivka, no nordeste da Ucrânia, em 28 de fevereiro. Se condenado, ele pode pegar prisão perpétua.

A Ucrânia acusa a Rússia de atrocidades e brutalidade contra civis durante a invasão e disse que identificou mais de 10.000 possíveis crimes de guerra.

Leia Também:  Vídeos: Pessoas negras que moram na Ucrânia estão sofrendo discriminação pela Forças Armadas do país e da Polônia

A Rússia nega alvejar civis ou envolvimento em crimes de guerra e acusou Kiev de encená-los para difamar suas forças.

Questionado sobre o julgamento, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse à Reuters: “Como antes, não há informações (sobre o julgamento) e a capacidade (da Rússia) de prestar assistência também é limitada devido à ausência de nossa missão diplomática”.

Questionado de forma mais ampla sobre as alegações de crimes de guerra contra as forças russas na Ucrânia, Peskov declarou: “Consideramos impossível e inaceitável lançar tais termos. Muitos dos casos que a Ucrânia está falando são falsos, e os mais notórios são encenados, como foi comprovado de forma convincente por nossos especialistas”.

Depois que os guardas levaram Shishimarin ao tribunal algemado, ele foi questionado pelo juiz se aceitava a acusação contra ele. Ele confirmou que sim.

Promotores ucranianos disseram que Shishimarin e outros quatro militares russos atiraram e roubaram um carro de propriedade privada para escapar depois que sua coluna foi alvo de forças ucranianas.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA