Geral

Primeira lua cheia do ano: Rio de Janeiro tem semana de lua cheia e previsão de sol e calor

Publicados

Geral

Primeira semana inteira de sol do verão começou com sensação de quase 50°C e tempo bom até o fim de semana. Primeira lua cheia do ano – Foto: Marcos Serra Lima

Enfim, um verão como o carioca está acostumado. Pela primeira vez nesta estação de 2021/2022, o Rio tem previsão de sol e calor durante uma semana inteira.

Segundo a Prefeitura do Rio, a temperatura máxima foi de 37,8°C em Santa Cruz, na Zona Oeste. Mas a sensação térmica chegou a quase 50°C.

Para terça-feira (18), segue o calor: 37°C. A quarta (19) deve ser ainda mais quente: 38°C de máxima. Como todo verão, tem chance de temporal no fim da tarde, mas a previsão é de pancadas isoladas – ou seja, não caem em todo lugar.

‘Lua de lobo’

Nesta segunda-feira (17), o tempo bom ainda permitiu ver brilhar no céu a primeira lua cheia do ano (a “lua do lobo”, que nasceu alaranjada pouco antes das 19h.

Leia Também:  Mãe de Moïse Kabagambe chega para depor, e advogado diz que há tentativa de 'desqualificar' o congolês

O humorista Marcelo Adnet foi um dos que postou foto da lua, nascendo em cima da Rocinha, ao lado do Morro Dois Irmãos (veja acima).

Lua cheia vista na Tijuca — Foto: Mariana Baltar/Arquivo pessoal

Fonte: G1 Rio

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Geral

Educafro entra com ação civil contra União por atos e omissões que contribuem com racismo no Brasil

Publicados

em

Manifestantes protestam contra o racismo e a violência contra a população negra em 13 de maio de 2021 – Foto: Taba Benedicto / Estadão Conteúdo

A Fundação Educafro, com sede em São Paulo, ingressou com uma ação civil pública nesta sexta-feira (13) pedindo a condenação da União por atos e omissões que contribuem com o racismo contra a população negra no Brasil.

O pedido foi apresentado na 5ª Vara Cível Federal de São Paulo. A ação argumenta que existe uma falha na prestação de serviço público para a promoção da igualdade racial no país.

Segundo o procurador de Justiça Irapuã Santanna, um grupo de especialistas realizaram diversas pesquisas no âmbito histórico, psicológico e econômico para comprovar que a União executou ações discriminatórias ao longo da história.

“Organizamos um grupo de especialistas que demonstraram a violação histórica dos direitos dos negros, os danos sofridos desde a escravidão, do ponto de vista socioeconômico e psicológico”, afirmou o advogado do grupo e procurador de Justiça, Irapuã Santanna.

“O racismo do país se encontra por ações e omissões através da história, até com a elaboração de leis racistas, que fizeram a gente chegar no estado atual. Não há combate ao racismo, embora toda o sistema diga que precisa fazer”, completou.

A ação pede que a União reconheça todos os prejuízos causados e faça um pedido de desculpas formal. E reforça a criação de um “Fundo Especial e Permanente de Combate ao Racismo e Emancipação da População Negra, de âmbito nacional, cujos recursos captados devem ser aplicados exclusivamente nas ações, programas, projetos e atividades voltados à política de promoção da igualdade racial”. Fonte: G1 São Paulo

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Mãe de Moïse Kabagambe chega para depor, e advogado diz que há tentativa de 'desqualificar' o congolês
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA