Geral

Brasil tem mais de 2,8 milhões de trabalhadores com carteira assinada a menos do que no início da Lava Jato

Publicados

Geral

A reforma trabalhista aprovada após o golpe contra Dilma Rousseff deteriorou ainda mais o ambiente, aumentando a informalidade – Foto: Edson Lopes Jr./AsHd/Fotos Públicas

A formalidade vem perdendo seu espeço no mercado de trabalho desde o início da operação Lava Jato. Levantamento da LCA Consultores mostra que o número bruto de empregados com carteira assinada diminuiu em 2,8 milhões em relação a 2014.

Já o número de pessoas que trabalham sem registro ou por conta própria cresceu em 6,3 milhões nos últimos oito anos. No primeiro semestre de 2022, 38,1% dos trabalhadores tiveram suas carteiras assinadas. O pico para os empregados com carteira assinada foi de 43%, porcentagem alcançada em 2014. 

O Dieese aponta a Lava Jato de Curitiba como responsável pela destruição de 4,4 milhões de empregos, ao quebrar grandes empregadores, como a indústria naval e praticamente todas as maiores construtoras brasileiras. A reforma trabalhista aprovada após o golpe contra Dilma Rousseff deteriorou ainda mais o ambiente., aumentando a informalidade.

Calculado a partir dos dados do setor provado no regime CLT e domésticos com carteira assinada, o estudo mostra que eventuais melhoras na taxa de desemprego podem não traduzir a realidade, na prática.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Com cortes da Petrobras, distribuidoras estudam importar combustíveis – e repassar o custo
Propaganda

Geral

Projeto de extensão Doutores da Beleza promove curso para egressas dos presídios femininos de Santa Catarina

Publicados

em

A Universidade do Vale do Itajaí (Univali), por meio do projeto de extensão “Doutores da Beleza no Âmbito Social”, promove de 28 de junho a 9 de julho o curso profissionalizante de estética facial para egressas dos presídios femininos de Santa Catarina.

A formação, on-line e gratuita, terá quatro encontros e a expectativa é reunir cerca de 300 participantes.

O objetivo do curso é a ressocialização das mulheres por intermédio da qualificação profissional e inclusão no mercado de trabalho na área de estética. “O projeto Doutores da Beleza contribui para a geração de renda e inclusão social das egressas do sistema prisional do Estado. Este módulo será sobre depilação com linha e será ministrado pela professora Silmara Hoepers”, explica a professora Juliana Gallas, responsável pelo projeto.

O projeto de extensão Doutores da Beleza foi criado em 2008 e atua na profissionalização de pessoas em situação de vulnerabilidade. Mais de três mil pessoas já foram beneficiadas com cursos e ações.

Os projetos de extensão da Univali são supervisionados pela Coordenação de Projetos e Programas de Extensão da Vice-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Moeda norte-americana teve alta: Crise sobre Auxílio Brasil faz dólar fechar a R$ 5,59, maior cotação desde abril
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA