Economia

O Mercado Cripto está no fundo do poço? Seria o fim de todo o otimismo voltado para esse mercado?

Publicados

Economia

Especialista, Gabriel Nascimento (COO da empresa Xland Holding), ajuda esclarecer.

Sabemos que recentemente um dos maiores bilionários do mundo e um dos maiores influenciadores do mercado internacional, ninguém menos que Bill Gates se manifestou sobre o que podemos chamar de Inverno cripto:

Criptomoedas são baseadas na teoria do maior tolo: alguém vai pagar mais por isso do que eu”, diz Bill Gates. Além disso, o Bilionário fundador da Microsoft também ironizou NFTS: “imagens de macacos vão melhorar imensamente o mundo“.

De fato, não seria exagero afirmar que o mercado cripto está vivendo o seu pior momento no ano de 2022, período marcado por muita desvalorização nas chamadas Criptomoedas, Nft`s, Mercado DEFI e Smart Contracts.

Nesse cenário de incertezas, também comumente afetado por um clima baseado no que os especialistas chamam de FUD (fear, uncertainty e doubt – medo, incerteza e dúvida), sentimentos e comportamentos que normalmente resultam em uma força ainda maior de venda de posições, e aumenta-se ainda mais a desvalorização das Criptomoedas, um fenômeno diretamente relacionado a famigerada Lei de oferta e demanda.

Deste modo, seria muito relevante tecer comentários sobre o que os especialistas chamam de Bear Market, fase do mercado representada pelo arquétipo do urso em contraposição com o Touro que representa as fases de alta do mercado.

Em síntese, temos que Bear markets são compostos por eventos negativos em série, reações exageradas de preço e momentos em que um turbilhão de informações negativas são levadas ao mercado ao mesmo tempo.

Leia Também:  “Levo uma palavra de otimismo, vamos reconstruir nossas vidas”, diz governador da Bahia Rui Costa

O especialista, Gabriel Nascimento (COO da empresa Xland Holding), explica que “o mercado de Criptomoedas, assim como nos investimentos tradicionais, também é marcado por ciclos. Inclusive, nesses momentos de grande crise e desvalorização é possível fazer análises técnicas e identificar um padrão”.

O especialista continua trazendo ricas informações sobre o fenômeno bear market no mundo cripto que pode ser identificado da seguinte forma:

“No atual momento, podemos afirmar que estamos vivenciando o chamado bear market. Esse é um fenômeno comum, e que em regra, passa por 3 fases: Um primeiro tem seu início logo após as moedas terem alcançado sua melhor fase de alta, os maiores preços. Isso se dá porque investidores que ganharam muito dinheiro com a valorização das moedas, agora, querem realizar suas posições e poder desfrutar do lucro obtido, em outras palavras querem vender suas posições e colocar o dinheiro no bolso. Nesse momento, em decorrência do alto volume de vendas, é possível ver muito dinheiro saindo do mercado”, explica Gabriel.

Por conseguinte, em um segundo momento, com a alta evasão de recursos, muitas instituições acabam por ficar totalmente descapitalizadas, e por fim são liquidadas (este talvez é o pior momento da crise). Esse é considerado um momento teste dos projetos que são mais sustentáveis. Apenas os mais fortes e sólidos vão sobreviver.

Leia Também:  Declaração “provocativa”: "Terceira guerra mundial seria nuclear e devastadora", avisa chanceler da Rússia

Após toda essa fase de provação, quebras e liquidações, as instituições mais sólidas, aos poucos, começam a voltar para um momento de consolidação de preços, dando sinais de uma retomada da valorização. Fechando assim um ciclo bem comum no mercado de investimentos.

Importante lembrar que o início da atual crise no mercado cripto foi motivado, principalmente, com os relatórios dos últimos 2 (dois) meses indicando que inflação nos EUA estava mais alta do que se imaginava, e que medidas forçadas de intervenção precisam ser adotadas para corrigir essa situação. Na luta contra a inflação, o Federal Open Market Committee (FOMC) optou por aumentar a taxa de juros americana, o que força com que os investidores institucionais optem por sair de investimentos mais voláteis e escolham desfrutar das altas taxas de juros nos mercados mais tradicionais e conservadores.

Gabriel Nascimento afirma que: “É necessário ter calma para avaliar todos os pontos disponíveis e tomar decisões cautelosas na hora de investir no mercado cripto, já que este é um mercado muito dinâmico e volátil. De toda sorte, é importante ter em mente que após fortes crises, os preços do mercado cripto ficam descontados, e esse pode ser um excelente momento para aproveitar oportunidades de investimento e adquirir ativos digitais que estão desvalorizados.” 

Acesse: https://www.xlandholding.com.br/ 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Economia

Transformação: Aumento de produtividade e redução de custos na fruticultura são destaques da Belgo Bekaert

Publicados

em

A Belgo Bekaert é líder brasileira na transformação de arames de aço desde sua criação, fruto da parceria estratégica no Brasil entre a ArcelorMittal e a Bekaert – Foto Reprodução

Laranja, limão, abacate, banana, caqui, figo e tangerina são as frutas mais produzidas, nesta ordem, no Estado de São Paulo, que é considerado o maior produtor de frutas do Brasil – país que é o terceiro maior fruticultor do mundo. É dentro deste contexto que a Belgo Bekaert, líder no mercado brasileiro de arames, chega à cidade de Holambra (SP), com o objetivo de demonstrar suas soluções para o setor produtivo de hortaliças e frutas durante a 27ª Hortitec – Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas. O evento ocorre de 22 a 24 de junho, no Parque da Expoflora.

Nacionalmente conhecida como a “Capital das Flores”, Holambra também concentra uma das maiores produções de hortaliças e frutas do Brasil, com cultivares como maracujá, uva e morango. Presente na feira com soluções que alavancam a produção e reduzem custos de manutenção nas estruturas, a Belgo demonstrará, na feira, três tecnologias do portfólio: Belgo Frutifio, Belgo Parreiral e a tela Belgo Javaporco. “Ao usar arames, telas e cordoalhas que possuem alta resistência e durabilidade, o produtor rural realiza menos manutenções que oneram a produção e tomam tempo. Ou seja, uma enorme relação positiva de custo e benefício”, relata a analista de mercado da Belgo Bekaert, Vanessa Teixeira.

Leia Também:  Cincos passos para não cair em golpes investindo em criptomoedas. Você sabe o que é Phishing?

O estande da empresa está situado na área 46, no setor preto, e terá como parceiro o grupo Talismann, que fabrica estruturas de aço para cercas rurais, chaves de charrua, estruturas de parreirais, entre outros produtos. Dentro do estande, segundo Vanessa, haverá demonstração de videira conduzida no esquema em Y e uma bancada de morangos. “A fruticultura está se desenvolvendo muito no Brasil e, para a Belgo, é imprescindível marcar presença em eventos como este, para demonstrarmos o potencial de nossas tecnologias em produções desse tipo”, pontua a analista.

Serviço

O que: Belgo Bekaert na 27ª Hortitec

Quando: de 22 a 24 de junho

Onde: Parque da Expoflora (Alameda Maurício de Nasau, 675, Holambra, SP)

Sobre a Belgo Bekaert

A Belgo Bekaert é líder brasileira na transformação de arames de aço desde sua criação, fruto da parceria estratégica no Brasil entre a ArcelorMittal e a Bekaert. A empresa atua nos segmentos de Agronegócios, Cercamentos, Construção Civil, Automotivo, Solda, Aplicações Especiais e Indústria Petrolífera, oferecendo um mix de produtos e serviços que atendem com tecnologia de ponta, confiabilidade e qualidade aos mais diversos perfis de clientes.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA