Carros e Motos

As muitas faces da Honda CG 160 Titan: A motocicleta versátil e bem confortável por definição, pois se presta para tudo

Publicados

Carros e Motos

Honda CG 16o Titan é versátil e bem confortável – Foto: Reprodução

No ano passado, a nossa querida Honda CG completou 45 anos de idade, ao mesmo tempo em que a família CG ganhava uma reestilização. Mostrei essas alterações, que vieram com a linha 2022 , mas não cheguei a pilotar a nova fornada da rainha das motocicletas populares. Fiz isso agora e escolhi a Titan, a versão mais equipada da família CG 160, para uma semana de idas e vindas.

Cansamos de ver Honda CG todos os dias, serpenteando pelo trânsito nas grandes cidades, fazendo entregas. Seriam Titan, ou Fan, Start ou Cargo? Sim, muitas são Titan. Mas são mais velhas, alguns diriam. Sim, mas já foram novas.

Agora mesmo, com a “minha” Titan emprestada, parei ao lado de um desses profissionais, no semáforo, e ele tinha uma Titan 2022 , idêntica à minha. “Muitos milhares de quilômetros pela frente!”, pensei comigo.

Honda CG 160 Titan da linha 2022 tem certo apelo esportivo – Foto: Gabriel Marazzi

A Honda CG 160 Titan , no entanto, é uma motocicleta completa. E robusta. Passar uma semana lembrando disso é bem didático, pois nos permite descobrir todos os bons atributos da motocicleta.

Leia Também:  Harley-Davidson Fat Bob: a evolução de uma motocicleta

A suavidade de funcionamento é uma delas. Motorzinho redondo, liso, silencioso e competente. Acelera bem, para sua potência, freia com segurança e faz curvas. Não é à toa que é a motocicleta escolhida para participar da copa Honda Junior Cup, do Campeonato Brasileiro de Superbike.

A Honda CG 125 Titan 2022 pode ser reconhecida pela nova moldura do painel de instrumentos e na carenagem de farol, e nas laterais do tanque redesenhadas interna e externamente.

A rabeta também foi redesenhada e o pneu traseiro é mais largo do que o das outras três versões: 100/80-18 contra 90/90-18. A Honda CG 160 Titan custa R$ 14.190 e está disponível nas cores cinza metálico, vermelho perolizado e amarelo perolizado.

Honda CG 160 e sua versão de pista – Foto: Reprodução

Fonte: Carros IG

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Carros e Motos

328: um BMW inspirado de competições: Em quatro anos, clássico foi considerado um marco na história do automóvel

Publicados

em

Em quatro anos de existência o BMW 328 foi considerado um marco na história do automóvel – Foto: Reprodução

IG carros – Concebido em 1936 pelos gênios Rudolf Schleider e Fritz Fiedler para desbancar o temido Alfa Romeo no circuito de Le Mans – na França, o BMW 328 Roadster – um charmoso conversível esporte dos anos 30 – conquistou inúmeros fãs durante sua temporada no tradicional circuito Mille Miglia (Mil Milhas, em italiano) que consistia no percurso de ida e volta entre as cidades de Brecia e Roma, na Itália.

Somente em 1939, sobre o comando do engenheiro alemão Wunibald Kamm era desenvolvida uma versão Coupé para competir em Le Mans cumprindo as normas do regulamento que proibia a participação de carros conversíveis no campeonato.

O BMW 328 foi construído artesanalmente sobre um chassi tubular com carroceria de alumínio – Foto: Reprodução

O 328 foi construído artesanalmente sobre um chassi tubular com carroceria de alumínio que pesava apenas 830 Kg. Suas linhas compreendiam um estilo clássico com destaque para o enorme capô que abrigava um motor 2,0-litros longitudinal de seis cilindros em linha e 80 cv , fazendo-o atingir a velocidade máxima de 165 km/h e acelerando de 0 a 100 km/h em apenas sete segundos.

Uma curiosidade desta versão era as válvulas em V instaladas no cabeçote (bloco do motor) acionadas por varetas e balancins, sendo o primeiro a ter este tipo de configuração.

Esteticamente, outra de suas características era a grade dupla vertical com o tradicional e inconfundível emblema BMW ladeado por faróis circulares e não dispunham de para-choques. A tampa do motor era presa por duas cintas de couro, o que caracterizava o charme do modelo.

A grade dupla vertical com o tradicional e inconfundível emblema BMW ladeado por faróis circulares – Fotoreprodução

Os amplos para-lamas salientes protegiam as rodas de aro 16 – presas por porcas borboletas e o compartimento para o estepe (conversível) localizava-se atrás, na tampa do minúsculo porta-malas.

Leia Também:  Harley-Davidson presta tributo a Willie G com moto customizada

Somente em 1937, depois de seu lançamento oficial, a empresa entregou os primeiros exemplares do 328 a um preço bastante dispendioso para a época, reservado somente àqueles com padrão de vida elevado.

Os felizes compradores, porém queriam prazer ao dirigir e isso o BMW 328 podia proporcionar, mas para os engenheiros alemães, ainda faltava mais para a “perfeição” do roadster competir à altura de rivais como os Alfa Romeo com seus motores  de 6 e 8 cilindros.

Para isso, os executivos foram até a firma de carrocerias “Carrozzeria Touring” de Milão, Itália, que prestavam serviço aos carros da Alfa Romeo para que lhe desenvolvessem um projeto. Nascia no ano de 1938 o 328 MM (Mille Miglia) Roadster.

A tampa do motor era presa por duas cintas de couro, o que caracterizava o charme daquela época – Foto: Reprodução

Equipado com uma nova carroceria de alumínio e magnésio, reduzindo em até 115 Kg o seu peso, o novo MM tinha mais chances de se tornar um vencedor. Seu tanque de combustível tinha capacidade para até 100 litros.

Com o mesmo motor seis cilindros em linha de 1.971 cm³ (equipado com o carburador triplo), só que agora retrabalhado, a sua potência aumentava para 135 cv e a velocidade final ficava na marca dos 200 Km/h.

A BMW fabricou apenas seis exemplares do 328 MM roadster – três deles fabricados em Milão, na Itália – Foto: Reprodução

Na nova versão destacavam os para-lamas redesenhados e integrados à carroceria, rodas exclusivas, que agora nas traseiras eram cobertas por capas, um pequeno para-brisa e tampa traseira do porta-malas redesenhada, ocultando o estepe.

A BMW fabricou apenas seis exemplares do 328 MM Roadster – três deles fabricados em Milão, na Itália e os outros em Munique – Alemanha . A série Mille Miglia foi consagrada por muitos fanáticos como sendo o verdadeiro mito, graças à quantidade de vitórias conquistadas ao longo de sua carreira.

Vitórias do 328

No dia 27 de maio de 1939, o 328 CT conquistava a 5ª colocação no famoso circuito das 24 Horas de Le Mans – Foto: Reprodução

Leia Também:  Novo programa 'Pró Veículo Verde', incentivará os fabricantes a priorizarem a produção de veículos elétricos e híbridos

Em 1939 era a vez do modelo Coupé Touring  estrear e competir em Le Mans com um novo desenho e estilo fastback (linhas caindo suavemente pela traseira). Tinha o mesmo motor 2.0 litros de cilindros do MM Roadster  e chegava a velocidade máxima de 220 km/h.

Com o novo carro, no dia 27 de maio de 1939, o 328 CT conquistava a sua quinta colocação no famoso circuito das 24 Horas de Le Mans , um orgulho para a BMW , pois nesta mesma categoria corriam carros com motores de até 4,5 litros ocupando as primeiras colocações.

Na data 28 de abril de 1940, no circuito Mille Miglia , na Itália, o piloto Huschke von Hanstein e o co-piloto Walter Bäumer conseguem a grande vitória de cruzar a linha de chegada no tempo de apenas 8 horas, 54 minutos e 46 segundos, marca que os tornaram vencedores.

Huschke von Hanstein e o co-piloto Walter Bäumer cruzando a linha de chegada em seu BMW 328 Coupé Touring – Foto: Reprodução

Neste dia, a BMW conseguia um de seus prêmios mais importantes no automobilismo, mas não ficou só por aí. Logo em segundo lugar vinha um Alfa Romeo 6C 2500 SS da equipe italiana Farina-Mambelli e na terceira posição um outro BMW (versão roadster), pilotado por Adolf Brudes e Ralph Roese. Logo atrás, ocupando a quarta e quinta posição, nas mãos das duplas Briem/ Richter e Wencher/ Scholz, mais dois BMW recebiam a bandeirada.

Encerramento de sua produção

Foram comercializadas somente 461 unidades do  328 durante os quatro anos de sua existência (1936-1940), números que fizeram da BMW uma das mais importantes montadoras para a história do automóvel; um sucesso interrompido pela Segunda Guerra Mundial.

No entanto, a produção para particulares se manteve até 1941. Mais tarde a empresa dedicava-se unicamente na produção e conserto dos motores de aviões bélicos.

BMW 328 teve as últimas unidades produzidas em 1940, deixando um legado importante para a marca alemã – Foto: Reprodução

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA