Agro

Trouw Nutrition leva linhas de pecuária de corte, leite e aditivos ao Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR)

Publicados

Agro

Com o foco em soluções nutricionais para os diferentes desafios das propriedades pecuárias de corte, leite e fábricas de ração, a Trouw Nutrition marca presença no Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR), entre os dias 7 e 11 de fevereiro de 2022.

“Um dos pilares da Trouw Nutrition é estar próxima de quem produz. Esse é o objetivo da participação na feira: discutir tendências, trocar experiências e responder às principais dúvidas dos produtores de leite e pecuaristas de corte, especialmente num momento de elevação dos custos de produção. Vamos apresentar tecnologias nutricionais que, comprovadamente, contribuem para o retorno econômico positivo do negócio e, claro, que estão ao alcance de todos os criadores”, destaca João Benatti, Gerente de Produtos para Ruminantes da Trouw Nutrition.

Uma dos destaques é a Tecnologia Dry®️, ferramenta importante para o pecuarista, principalmente no período das chuvas, pois mantém os suplementos minerais secos, mesmo em contato com a água. “Outro problema comum em períodos chuvosos é a lixiviação (carreamento) de alguns minerais, promovendo desequilíbrio na composição do suplemento e, consequentemente, consumo irregular dos nutrientes essenciais. A tecnologia Dry impede a absorção de água pelo produto e mantém a qualidade da mistura, evitando desperdícios e menor consumo pelos animais”, explica João Benatti.

Leia Também:  Auditores da Receita Federal ameaçam debandada após corte no Orçamento

Para a pecuária leiteira, a Trouw Nutrition destaca a linha Sprayfo, sucedâneos lácteos para bezerras. ”Esses produtos são diferenciados e possibilitam maior crescimento das bezerras com foco na produtividade das vacas no futuro. Também iremos apresentar nosso recém lançado Sprayfo Excellent, o Sprayfo mais vendido no mundo e com colostro em pó em sua composição”, pontua o especialista.

Para conservação de silagem, a Trouw Nutrition promove no Show Rural o antifúngico Fylax®️ Forte HC, que controla o desenvolvimento de mofo, além de prolongar a vida útil das silagens de planta inteira e grão úmido. “A alimentação tem participação muito relevante no custo da produção animal. O compromisso da Trouw Nutrition é levar ao Show Rural Coopavel soluções que sejam eficientes na rotina das fazendas, aumentando significativamente o lucro dos pecuaristas, com qualidade e segurança”, completa João Benatti.

O estande da Trouw Nutrition está localizado na Rua B, no número 35.2.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agro

Agência de Defesa Agropecuária alerta sobre a necessidade de vacinar o rebanho bovino e bubalino contra a brucelose

Publicados

em

A doença é causada pela bactéria B. abortus e pode ser transmitida para seres humanos – Foto: Jaelson Lucas / Arquivo AEN

Minuto Rural – Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) alerta sobre a necessidade de vacinar o rebanho bovino e bubalino contra a brucelose, imunização que pode ser feita em qualquer período do ano. A doença é causada pela bactériaB. abortuse pode ser transmitida para seres humanos.

O abortamento é o principal sinal, e ocorre geralmente no último terço da gestação. Outros indicativos da doença são o nascimento de bezerros fracos, retenção de placenta, corrimento vaginal, inflamação das articulações e inflamação dos testículos.

A brucelose bovina é endêmica no Paraná e as perdas econômicas são expressivas. Ocorre queda da produtividade, ou seja, menor produção de leite, além de baixos índices reprodutivos, aumento no intervalo entre partos, morte de bezerros precocemente e perda de animais.

“Assim como a campanha de atualização de rebanhos é necessária para melhor conhecimento, rastreabilidade e análises de risco no Paraná, a comprovação da vacinação contra brucelose é necessária e obrigatória para a manutenção da sanidade do rebanho bovino e bubalino e para a diminuição da prevalência da doença”, disse a coordenadora do programa, médica veterinária Elenice Amorim. 

Leia Também:  Os visionários da ovinocultura na Amazônia brasileira: Projeto Cordeiros da Amazônia

VACINAÇÃO – Uma das principais medidas de controle da brucelose bovina é a vacinação. Fêmeas entre três e oito meses de idade devem ser vacinadas obrigatoriamente (Portaria nº 305/2017) e deve ser comprovada a aplicação, uma vez por semestre. No Brasil, é permitida a utilização das vacinas B-19 ou RB-51 (Vacina Não Indutora de Anticorpos Aglutinantes). A B-19 é atualmente a mais utilizada devido ao menor custo.

A vacinação deve ser feita corretamente sob a responsabilidade de um médico veterinário cadastrado na Adapar, e o uso de equipamento de proteção individual (EPI) é fundamental para o vacinador, para evitar acidentes. Segundo a Adapar, propriedades não regulares com a vacinação contra brucelose ficam impedidas de movimentar animais (emissão de GTA) para qualquer finalidade.

TRANSMISSÃO – A brucelose bovina é transmitida principalmente pela ingestão de pastagem contaminada pela urina de bovinos doentes, restos fetais e de placenta. A doença pode ser introduzida em um rebanho sadio, pela aquisição de bovinos infectados. Por esse motivo, é importante a realização de quarentena e de novos exames para que os animais possam ser incorporados ao rebanho.

Leia Também:  Agência de Defesa Agropecuária alerta sobre a necessidade de vacinar o rebanho bovino e bubalino contra a brucelose

Exames periódicos fazem parte da estratégia de controle da doença. Para as fêmeas que receberam a vacina B19, os exames podem ser feitos com idade superior a 24 meses. As bezerras vacinadas com a RB-51 e os animais machos podem ser submetidos ao exame a partir dos oito meses de idade, quando não apresentarão anticorpos colostrais, que podem influenciar no resultado dos exames, ocasionando falsos positivos.

INFORMAÇÃO – Nos casos de animais reagentes no teste de triagem, a Adapar deve ser imediatamente notificada para tomada de medidas de confirmação e controle. A notificação precisa ser feita pelo médico veterinário habilitado que realizou os testes diagnósticos, em até 24 horas após a leitura.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

TUDO SOBRE POLÍTICA

POLÍCIA

ESPORTE

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA